Sim, adoramos usabilidade, e não é segredo para ninguém. Além de facilitar a busca de informações para os usuários, e melhorar a navegação do site, ela pode ser a linha divisora entre o sucesso e o fracasso de qualquer aplicação desenvolvida.

Jakob Nielsen é um dos principais estudiosos de usabilidade no mundo, e ele compilou 10 principais pontos da usabilidade atualmente. O interessante dessa lista é que ele deixa bem claro o resultado final necessário e não o processo para chegar lá.
• Visibilidade no sistema
Seja qual for o sistema ou aplicação desenvolvida, ele deve sempre manter os usuários informados sobre o que está acontecendo, por meio de feedback apropriado em tempo razoável.
• Coerência
Não importa o quão complexa é a tecnologia de seu sistema, mantenha a linguagem coerente ao dia a dia do usuário.  Com linguagem queremos dizer não apenas a comunicação, mas também os processos e etapas. Quanto mais familiar, melhor. A ordem das informações ainda deve ser lógica e natural, para que não haja dúvidas na utilização. O que está acontecendo na tecnologia atualmente? O que seus usuários estão acostumados? Com a resposta dessas duas perguntas já é possível avançar bastante. O sistema deve falar a linguagem dos usuários, com palavras, frases e conceitos familiares.
• Controle do usuário e liberdade
Usuários frequentemente escolhem funções do sistema por engano e vão precisar de uma “saída de emergência” claramente marcada para sair do estado indesejado sem ter que passar por um diálogo prolongado. Não esqueça de possibilitar a navegação entre estágios de forma serena.
• Consistência e padrões
Os usuários não devem ter que pensar se palavras, situações ou ações diferentes significam a mesma coisa. Siga as convenções da plataforma.
• Prevenção de erros
Ainda melhor do que boas mensagens de erro é um design cuidadoso que evita que o problema ocorra. Ou elimine condições propensas a erros ou verifique-as e apresente aos usuários opções e instruções. E ainda assim, mantenha a mensagem de erro clara e de fácil assimilação.
• Reconhecimento em vez de Sensibilidade
Se seu sistema realmente precisar de passos mais complexos para a realização de tarefas, apresente instruções  e ações visíveis. E não conte com a memorização, deixando apenas os passos na primeira etapa.
• Flexibilidade e eficiência de uso
Uma boa dica é usar aceleradores para usuários experientes e escondê-los para os iniciantes. Desse modo,  seu sistema é capaz de atender todos os públicos.
• Estética e design minimalista
Os diálogos não devem conter informações irrelevantes ou desnecessárias. Cada unidade extra de informação em um diálogo compete com os módulos de sistema, diminuindo sua visibilidade relativa.
• Ajudar os usuários a reconhecer, diagnosticar e recuperar erros
As mensagens de erro devem ser expressas em linguagem simples (sem códigos), e indicar com precisão o problema e construtivamente sugerir uma solução.
• Ajuda e documentação
Mesmo que seja melhor a utilização do sistema sem documentação, ás vezes ela pode ser necessária. Nesses casos, é importante lembrar  que qualquer informação deve ser fácil de pesquisar, focada na tarefa do usuário, além de clara e objetiva.
Fonte: NN Group