Na Forbes Online, fizeram um matéria bem interessante constatando que na lista 250 melhores CIOs da Fortune, apenas 10% possuem uma conta no Twitter, e 1/3 desses executivos ou não são cadastrados no LinkedIn, ou seu perfil contém poucas informações. É no mínimo espantoso pensar que alguns provedores de soluções de tecnologia da informação ainda se encaixam em um perfil pré concebido de pensar sempre de forma segura, sem socialização com clientes, fornecedores, etc. Sabine Everaet, CIO da Coca-Cola Europa afirma que “Se os CIOs não se empenharem e entenderem o cenário social externo, eu não vejo como será possível a criação de uma solução interna para as organizações.”

[vc_separator type=’transparent’ position=’center’ color=” thickness=’10px’ up=” down=”]

Por que ser um CIO social?

Para os CIOs, gerenciar é compreender as pessoas, as informações e tecnologias da empresa. Mais do que apenas TI, o Forbes acredita que o verdadeiro papel dos CIOs é o gerenciamento e maximização performance de colaboradores por meio da colaboração e tecnologia. E é por esse real papel que é vital a participação desses profissionais nas mídias sociais.
[vc_separator type=’transparent’ position=’center’ color=” thickness=’10px’ up=” down=”]
Wayne Shurts, ranqueado em sexto lugar pela Forbes entre os CIOs mais sociais explica por que decidiu ser um “executivo social”:
“Para mim, a razão número um é que eu quero conhecer, saber o que está acontecendo na mídia, e em primeira mão. E melhor que contratar um consultor que explicará as mídias sociais em PowerPoint, é estar no meio do delas. Esse é o melhor jeito de realmente entender o que elas são e representam.”
A revista ainda disponibiliza um infográfico online, dos 25 CIOs mais sociais entre os 250+ da Revista Fortune, que você pode ver aqui.