Quando falamos em marketing digital vemos um mundo de possibilidades. Mas partindo do real significado, podemos dizer que ele é, basicamente, uma estratégia de negócio que compõe-se de um conjunto de táticas praticadas em diversos tipos de canais no ambiente online, utilizado para alcançar seu público alvo e expandir negócios

O marketing digital também possui muitas conexões com as buzzwords do momento, como: data science, big data, machine learning, inteligência artificial e muitas outras que estão relacionadas diretamente com a tecnologia. Mas afinal, quando colocamos de forma clara e objetiva, o que realmente significam esses termos para o marketing? Qual é o real impacto para meu negócio? Em quais cenários eles serão úteis e aplicáveis? 

Iniciaremos aqui uma série para enfim desmistificar esses termos, de forma a trazer clareza para você, profissional de marketing, gestor da área e até mesmo dono de um negócio que necessita entender quais são os benefícios de um marketing aliado às tecnologias e o que eles realmente representam. Segue a thread!

Data science e Big data, como utilizar?

 

Para termos a ciência de dados, precisamos primeiramente ter dados! Se pensarmos em marketing analítico como se fosse a construção de uma casa, os dados seriam a nossa fundação. E uma fundação conta com materiais de diversas fontes, certo? Cimento, argamassa, arames, vigas… e por aí vai. 

Aqui, nossa estrutura inicial será constituída de dados de origens variadas, que irão compor nosso big data, que nada mais é do que a análise e interpretação de um grande volume de dados. E sim, esses dados já existem caso você já tenha um ambiente online, mesmo que ainda não estejam minerados ou que seu site não possua um tagueamento devido no analytics. Portanto, é hora de organizá-los!

Alguns exemplos de fontes de dados úteis em marketing digital são:

  • Mídias sociais e e-mail marketing (engajamento).

Na prática: Quem está curtindo minha página também se inscreve em minha newsletter? Quem está  sendo impactado por minhas ações está convertendo em compras?

  • Número de acessos e cliques em meu site (funil do marketing).

Na prática: A jornada que eu projetei para o meu cliente está funcionando como o planejado? O conteúdo que julgo que agrega, agrega de fato?

  • Engajamento pós compra (relacionamento com o cliente).

Na prática: O melhor pós venda é aquele que gera uma nova compra. Mas eu consigo identificar com clareza os interesses do meu cliente em recompra e indicar novos produtos que agreguem para uma nova conversão?

Ou seja, essas diversas fontes nos trazem informações preciosíssimas para gerar um banco de dados. Porém, de nada adianta termos tantos rastros digitais se não soubermos o que podemos fazer com eles. Então vamos lá!

Benefícios de Data Science para o Marketing Digital

 

Tendo em vista esses dados gerados pelo marketing digital e sua aplicabilidade nos negócios (sem teorias complicadas aqui), a ciência de dados consiste em analisar uma grande quantidade de informações, oriunda de diversas plataformas – o famoso big data, já supracitado – a fim de transformar estas descobertas em conhecimentos valiosos para os seus negócios (insights, outra buzzword que abordaremos mais adiante).

Mas que tipo de insights consigo obter utilizando métodos de data science? 

A partir da utilização de modelos estatísticos para descrever comportamentos de um grupo e não apenas de um só indivíduo, você poderá:

  • Prever comportamento do cliente;

Na prática: Se eu sei que meu cliente pesquisa por calça de moletom, posso pressupor que ele queira uma blusa para combinar e então fazer uma venda casada, ou posso, também, colocá-lo numa lista de interesse para roupas comfy para gerar ainda mais interesse em outros produtos. 

Chamamos isso de oferta contextual, entenda melhor nesse post aqui!

  • Estabelecer métricas de sucesso;

Na prática: Vamos supor que meu público-alvo são pessoas interessadas em conjuntos comfy, em meu site eu tenho um número grande de acessos, porém minha taxa de conversão em compras está baixíssima. 

Quando eu avalio o percurso que meu cliente faz através do rastro de dados deixado, consigo saber o real motivo de ele não realizar a compra,  entender qual etapa do funil ele não está avançando e assim desenvolver métricas inteligentes específicas para validar a jornada do meu consumidor. 

  • Aperfeiçoar e personalizar estratégias de marketing para meu público alvo;

Na prática: Pensando ainda no exemplo citado acima, será que a baixa conversão do meu site é derivada do fato da minha estratégia não estar atraindo o público interessado em roupas comfy? Será que meus visitantes estão interessados em pijamas, por exemplo? Ou seja, a análise de dados é fundamental para nos fazer entender se o público atraído é, efetivamente, o mesmo que foi pensado para a minha persona. 

Enfim, existem muitas práticas disponíveis quando se pensa em entendimento de dados, mas o principal objetivo da junção entre marketing digital, big data e data science é “entender a dor do cliente”. Usar a tecnologia ao seu favor para solucionar gaps da melhor forma, ou seja, ter uma estratégia Data driven, que é, ao pé da letra, ser guiado pelos seus dados!

Pensando em te auxiliar ainda mais, desenvolvemos um ebook que explora a Inteligência Artificial aplicada ao marketing, para que você entenda sobre os tipos de análises em IA e quais são seus benefícios. Faça agora o download no link abaixo, é gratuito!

Esse artigo foi escrito e desenvolvido por: Kalissa Rodrigues e João Medeiros Diniz.