O que é e como aplicar o Marketing Automation

As estratégias de marketing de massa não funcionam mais. Táticas caras, interruptivas, não segmentadas, e até exageradas fazem parte de uma abordagem de marketing (one-size-fits-all) antiquada, que não entende o público-alvo como indivíduos com diferentes origens, interesses e preocupações.

Técnicas de Marketing Automation nos permitem tratar as pessoas como indivíduos. Personalização não é se envolver com uma única audiência de muitos, mas para gerenciar infinitas audiências de indivíduos únicos. Estas tecnologias nos permitem fornecer conteúdo relevante, altamente direcionado a partir de numa variedade de critérios, incluindo a localização da pessoa, o dispositivo que ela utiliza, e se é um visitante anônimo, um prospect ou um cliente existente.

A automação de marketing permite a humanização das relações. As estratégias mais bem-sucedidas com Marketing Automation são aquelas que compreendem seu público-alvo e entregam conteúdo sob medida para atender às necessidades e expectativas dos seus clientes específicos.

Mas como filtrar informações e aplicar as melhores estratégias? Veremos nos itens abaixo.

Segmentação de dados

O primeiro passo na aplicação de um projeto de Marketing Automation é a divisão dos dados coletados em cadastros ou pesquisas em segmentos:

  • cultura;
  • hectares;
  • histórico;
  • geografia.

Mas, para chegar ao cliente, precisamos aprofundar mais. Promover uma “conexão” com o cliente através de informações relevantes e experiências personalizadas e diferenciadas. O cliente quer ser surpreendido, sentir-se especial. Precisamos segmentar mais até chegar ao indivíduo. Mas como?

Automação de marketing por comportamento

A segmentação individual dos clientes se dá através de três passos iniciais:

Comportamento > automação > real time

O Behavioral Marketing Automation opera com os seguintes dados:

  • o que você sabe sobre o cliente para atender suas necessidades;
  • o comportamento do cliente para acertar o timing de contatos e mensagens;
  • o comportamento para tratar cada cliente como indivíduo único.

Tratamento pessoal

Vamos usar um exemplo prático. Digamos que você é dono da lanchonete da praça. Através do convívio, sabe tudo sobre seus clientes. Seu atendimento é personalizado, baseado nas informações coletadas através de um atendimento direto. A um cliente que está evitando carne vermelha, por exemplo, você oferece um lanche vegetariano ou com frutos do mar.

Assim, seus clientes gastam cinco vezes mais com você do que com outros estabelecimentos, investem mais do que a média em seus lanches e mantém uma relação pessoal de afeto e amizade com você.

Esse exemplo prático e simplificado diz muito sobre como um tratamento especial e personalizado afeta o comportamento dos consumidores. Você mesmo, não é cliente de um estabelecimento comercial onde os administradores já estão cientes de seus gostos pessoais?

Ou seja, conheça seus clientes!

A partir do momento em que temos um relacionamento que possibilita o atendimento personalizado, ganhamos em engajamento e nutrição:

Personalização > engajamento > nutrição

Engajamento: Com uma mensagem mais personalizada e precisa aumentamos nossa chance de sucesso em engajar estes usuários. Passamos então a entregar conteúdo relevante em troca de informações dos visitantes como seu nome, endereço de e-mail, telefone… Agora ele não é mais anônimo, já sabemos quem ele é, e qual o seu interesse.

Nutrição: Nutrição é o processo de construção de relacionamentos com clientes potenciais através do compartilhamento de recursos, conteúdos e informações. O objetivo aqui é mover os Leads no seu funil de vendas até que eles estejam prontos para comprar. De acordo com estudo da Monetate and eConsultancy, a nutrição personalizada gera um impacto de aproximadamente 19% nas vendas.

E aí, quer saber mais sobre o assunto? Acesse

Sem comentários

Deixe seu comentário

Quer saber se sua empresa tem maturidade digital para competir?

SOLICITE SUA AVALIAÇÃO AGORA!