Vamos fazer uma comparação com os nossos jogos olímpicos. Ao tentar acertar um alvo em uma prova de tiro esportivo (a primeira medalha do Brasil nas olimpíadas de 2016), podemos chegar muito próximo do objetivo principal e o resultado garantir uma boa colocação. Analisando a primeira tentativa, sabemos onde podemos melhorar e de que maneira vamos tentar acertar na mosca da próxima vez para tentar o pódio. Esta lógica é facilmente aplicada ao marketing por meio do Perfilamento Preditivo, e pode ajudar você a também vender mais!

Perfilamento preditivo do Cliente

Imagine que você vai lançar uma nova oferta (de serviço ou produto) e quer fazer uma ação direta. Você sabe as características dos seus produtos e os resultados das ações anteriores assim como seus públicos. A partir destas informações é possível obter os clusters, ou melhor, a lista de clientes já organizada por algum critério ou perfil para então serem executadas as ações de Marketing Direto.

Perfilamento Preditivo

O Perfilamento Preditivo consiste em pegar as informações de tudo que foi ofertado até hoje através de diferentes modelos de ativação, para diferentes públicos e processar buscando tendências e padrões, comportamento e resultados comuns para fatias determinadas de seu público. Na prática podemos afirmar que esta técnica usa as informações que tenho das ações que já fiz, balizada por dados externos (como por exemplo: momento de mercado e comportamento social) para definir o conjunto de pessoas que devemos fazer a ação de determinado produto com certas características. Ações diretas custam dinheiro, mas também custam reputação, pois ao mandar comunicação que seu cliente não deseja, ele não se sente tratado de forma personalizada, por isso quando fazemos uma ação, para toda uma base, com nenhum ou poucos critérios perdemos credibilidade com nossos prospects justamente por não considerarmos as particularidades deles para fazermos a oferta.

Ciência ajudando o Marketing

Uma excelente opção para segmentação de base é o Perfilamento Preditivo do Cliente. Se categorizarmos várias ofertas anteriormente realizadas através de alguma taxonomia (características do produto, por exemplo) e criarmos um modelo “misturando” com os resultados e perfil das pessoas que oferecemos, conseguimos descobrir qual o conjunto de pessoas tende a ter maior interesse Estas técnicas podem parecer algo que exija cientistas da Nasa, mas na verdade como já citei em nosso post Explicando o “Marketing Preditivo”, hoje existem ferramentas que capacitam a profissionais sem conhecimento em TI, extrair estes benefícios de seus dados. Se você gostou do tema te convido a conhecer a nossa solução para Marketing Preditivo o Leadiscover.