Como não cansamos de falar por aqui, buyer personas são essenciais para guiar a produção de conteúdo de seu canal. Elas proporcionam uma visão de quem é seu público alvo e, com isso, você pode ser mais efetivo em seus esforços na área de marketing. Porém, a criação não é um processo fácil. Pelo contrário, pode ser bastante desafiador.  

Muitos criadores de conteúdo “pulam” a parte de uma pesquisa minuciosa para criar suas personas e, como resultado, as marcas acabam gastando tempo e dinheiro em demográficos que nada tem a ver com os produtos ou serviços que se busca vender.  

Nesse artigo vamos trazer os principais erros cometidos para que você entenda a criação de uma persona, não cometa os mesmos incidentes e otimize sua jornada de compra! 

1. Não “chute”, pesquise!

 

É fácil e praticamente instintivo querer realizar uma leitura do comportamento de seu público alvo baseada em ideias pré-concebidas. Confundir sua intuição com o comportamento de sua persona é um erro que pode arruinar com estratégias de marketing digital inteiras.  

O uso do “chutômetro”, pouco específico por natureza, pode gerar anomalias, como personas muito específicas (como “homens nascidos em 1980 que estão acima do peso e estão perdendo cabelo”), ou muito abrangentes (“homens”). Acredite: nenhuma delas é boa para sua estratégia.  

2. Ter muitas ou poucas personas

 

Veja bem, não existe um número fixo X ou Y de perfis que uma empresa deve ter. Isso vai depender de uma série de fatores. Incluindo o número de produtos ou serviços que você oferece, maturidade de seu marketing, entre outros. 

Se você está recém iniciando sua estratégia de marketing digital, comece usando de uma a três personas. Qualquer número maior que este irá dividir seus esforços em demasia, tirando o foco de seus resultados. Com o decorrer do tempo, quando sua estratégia começar a gerar frutos, você provavelmente precisará de novas personas para otimizar os resultados e personalizar ainda mais a comunicação. 

3. A persona serve para toda sua equipe

 

Afinal, elas foram criadas para os processos marketing, mas podem (e devem) ser utilizadas por toda a empresa. Podemos ver o serviço da persona como uma poderosa ferramenta de engajamento e comunicação interna.  

O conhecimento das dores, experiência, metas e comportamento não irá ajudar apenas na aquisição de clientes, mas também em outros processos. Hoje existem vários exemplos de como o uso de Buyer Persona guia o desenvolvimento de produtos e serviços. 

Portanto, as personas devem estar alinhadas com todos os colaboradores de uma marca (até o porteiro!). Assim você poderá ter a segurança de entregar o valor adequado. 

4. Não pense apenas em comportamento, pense nas dores

 

Pode até soar estranho, mas é isso mesmo.Crie personas pensando em necessidades e pontos de carência que podem levar a seu produto. Pense: “como posso ajudá-los”? 

Sendo mais específico, você não está vendendo para a “empresa de 100 a 300 funcionários”, você está vendendo para uma organização que possui necessidades a serem supridas para manter-se estabelecida no mercado. Dessas necessidades pode sair sua oportunidade.  

5. Não deixe que suas personas desatualizem 

 

Pessoas e tendências mudam toda hora. Se você está não está constantemente atualizando seus dados, suas ações logo logo perderão efeito. 

Além disso, lembre-se: seu negócio também muda (felizmente). Você vai explorar novos mercados, oferecer novos produtos ou serviços, crescer. Para continuar efetivo, dedique um tempo para revisar suas personas ao menos uma vez por ano. Vale a pena! 

6. Seja paciente, obedeça a sua jornada de compras

 

Personas são criadas para entender como decisões são tomadas durante o processo de compra. Quais são as dores, esperanças, necessidades e experiências de seus usuários quando procuram por seus produtos ou serviços. Compras não são feitas de imediato, envolvem uma jornada de decisão pela qual você deve conduzir sua persona.   

Focar apenas no seu produto pode causar decisões equivocadas, como agir cedo demais –  buscando fechar a venda antes do final da jornada do seu consumidor. Considere um início suave enquanto você conhece suas personas, ao que elas forem amadurecendo, sinta-se à vontade para estratégias mais agressivas para otimizar as almejadas taxas de conversão.

Estes foram alguns dos principais erros cometidos pelas marcas ao criarem suas personas. Mas, afinal de contas, como cria-las de uma forma acurada? Confira em nosso Cardápio de perguntas para criar personas. Baixe agora!