Tudo sobre Growth Hacking: saiba o que é e conheça cases

Não se assuste, não se trata de nenhuma estratégia antiética. O termo “hacking” pode até ser associado a práticas condenáveis que acontecem no contexto online, mas, aqui, diz respeito a outro exercício.

A ideia é outra. Como o próprio termo deixa claro, o growth marketing combina “growth” (crescimento) e “hack” (brecha), ou seja, a busca do crescimento através de brechas disponíveis na web.

Assim, o Growth Hacking gera engajamento ao promover um intercâmbio entre elementos de marketing e desenvolvimento de produto para gerar experiências agradáveis aos usuários. São iniciativas lúdicas geradas por uma observação sensível do funcionamento das interfaces de modo a aumentar a capacidade de criar engajamento.

Desenvolvido no início da década, o Growth Hacking consiste na execução de projetos experimentais de efeito rápido que alinhem canais de marketing disponíveis na rede e desenvolvimento de produto. A ideia é gerar crescimento de maneira rápida e eficiente construindo uma base de usuários engajados.

Para tal, o empreendedor dispõe de três ferramentas:

  • redes sociais;
  • marketing viral;
  • anúncios segmentados.

Ou seja, a ideia é explorar ao máximo os mecanismos de baixo custo que a internet oferece. Esqueça TV, rádio e outros meios de comunicação tradicionais. O growth hacking foca em pouco gasto e muito retorno.

Por isso mesmo, é um instrumento formidável para start ups que querem se posicionar estrategicamente no mercado. Empresas que, por terem iniciado suas atividades há pouco tempo, ainda não dispõem de uma equipe de marketing plenamente formada ou de capital para investir em visibilidade.

Neste estágio, o growth marketing possibilita o crescimento do jovem empreendimento fazendo-se valer de três distinções:

  • inovação;
  • escalabilidade;
  • conectividade.

É importante que o empreendedor que for se fazer valer de estratégias baseadas no growth marketing esteja consciente de sua responsabilidade. Ética é palavra de ordem. Práticas que invadem a privacidade ou prejudicam a performance do acesso de um usuário tendem a gerar repercussão negativa.

Cases de sucesso:

Vamos parar de falar em conceitos e partir para os exemplos práticos? O Growth Marketing já foi usado por grandes empresas com efeitos diversos. Confira alguns dos exemplos mais célebres.

Hotmail: um dos casos mais clássicos de aplicação do Growth Marketing, posto em prática ainda em 1996. Para atingir um número maior de usuários, o Hotmail inseriu uma nota de rodapé na qual convidava usuários de outros serviços a abrirem uma conta no seu serviço em todos os e-mails que eram enviados pela sua plataforma. A ação ajudou o Hotmail a criar uma base de usuários de 12 milhões em apenas 18 meses

Twitter: após experimentar um início bem-sucedido, o Twitter passou por maus-bocados: muitos usuários deixavam de utilizar o serviço depois das semanas de experiência inicial. Após estudos mostrarem que clientes que seguiam mais de 10 perfis no primeiro mês de atividade tendiam a manterem-se ativos, o Twitter passou a sugerir contas interessantes baseadas nas preferências dos usuários. A otimização foi quase imediata.

Pinterest: para engajar os usuários, o Pinterest foi ainda mais longe que o Twitter. Ao registrar-se no serviço, o cliente passa a seguir automaticamente uma série de contas de alta performance. Isso impede que as contas sejam abandonadas após um início frio.

Acompanhe alguns dos mestres do Growth Hacking via Twitter:

Sean Ellis: nada menos que um dos responsáveis por cunhar o termo Growth Hacking, siga no Twitter e no site Growthhackers.

Marcel Ghiraldini: professor na FIA e ESPM. Atua há mais de dez anos com marketing digital e tecnologia com experiências em negócios, incluindo tecnologia, marketing, inovação, e principalmente em vendas B2B. Ativo no Twitter.

Alex Osterwalder: conhecido por sua astúcia quando o assunto é alavancar a performance de uma start up de maneiras criativas. Ativo no Twitter e no site de sua empresa, a Strategyzer.

Eric Cries: criador da estratégia Lean Startup, participa do quadro de consulta de diversas startups e ainda tece observações úteis em sua conta no Twitter e em seu site pessoal.

E aí, o que achou dessa ideia? Nós adoramos. Quer conhecer outras formas de otimizar seu site e gerar leads? É fácil, conheça nosso material.

Sem comentários

Deixe seu comentário

Quer saber se sua empresa tem maturidade digital para competir?

SOLICITE SUA AVALIAÇÃO AGORA!